Receitas tradicionais

'Kitchen Garden Cookbook' oferece ajuda com o cultivo de produtos caseiros

'Kitchen Garden Cookbook' oferece ajuda com o cultivo de produtos caseiros

Um dia, o termo "da fazenda para a mesa" deixará de existir, não porque a filosofia por trás dele sairá de moda, mas porque se tornará parte do curso. Até então, porém, como cozinheiros domésticos, podemos dar um passo além dos chefs com consciência ecológica: iniciando nosso próprio jardim no quintal. Jeanne Kelley's Livro de receitas da horta (Weldon Owen, $ 25) tem como objetivo mostrar aos leitores como começar, com dicas úteis e receitas organizadas por temporada.

O livro cobre o básico, incluindo onde colocar seu jardim, como preparar o solo e como regar as plantas, para citar alguns exemplos. Ela também dá conselhos mais específicos com base em produtos sazonais populares. Quer saber como plantar rabanetes? Kelley cobre tudo, desde quando plantar as sementes até como plantá-las e quando e como colhê-las, e ela faz o mesmo com tomates, abóbora, aspargos e praticamente qualquer outra planta abordada no livro. Mas não se trata apenas de plantas. Se você já sonhou em criar suas próprias abelhas ou galinhas, Kelley fala sobre isso também, e é uma coisa fascinante.

É verdade que manter um jardim nos fundos dá muito trabalho, especialmente se neva onde você mora. No entanto, você pode pensar nas receitas lindamente fotografadas do livro como motivação para continuar trabalhando, mesmo que seus primeiros esforços não sejam um grande sucesso. A melhor parte vem na época da colheita, quando você colhe os benefícios do que semeia: produtos frescos e abundantes prontos para a colheita. E conseguir um grande desconto na conta do supermercado é apenas um bônus a mais.

Sopa de Cebola com Bacon, Ervas de Inverno e Gruyantes

Quente e reconfortante, este toque na tradicional sopa de cebola é uma proposta bem-vinda no auge do inverno. (Foto cedida por Ray Kachatorian)

Três Ervilhas com Cevada, Chile e Alho Verde

Sambal oelek dá não apenas um toque picante a esta maravilhosa salada de primavera, mas também uma acidez que combina muito bem com as folhas de limão Kaffir. (Foto cedida por Ray Kachatorian)

Salada de farro, milho e feijão com queijo de cabra

A fartura do verão está à mostra nesta salada, que é substancial o suficiente para servir como uma refeição completa graças ao farro. (Foto cedida por Ray Kachatorian)

Will Budiaman é o Editor de Receitas do The Daily Meal. Siga-o no Twitter @WillBudiaman.


'Livro de receitas da horta' oferece ajuda com o cultivo de produtos caseiros - receitas


NOVO - APENAS PUBLICADO!
THE RENEE & # 39S GARDEN COOKBOOK

LIVRO DE JARDIM DO RENEE combina conselhos especializados de jardinagem e receitas deliciosas que mostram as cores e sabores de produtos de horta recém-colhidos. Se você é um jardineiro iniciante ou experiente, ou faz compras em um mercado de fazendeiros, os conselhos de jardinagem de Renee irão ajudá-lo a cultivar cada vegetal e erva com perfeição.

As 300 receitas fáceis de fazer oferecem novas idéias para desfrutar da fartura do jardim e são organizadas em ordem alfabética por tipo de vegetal, convenientes para usar para cozinhar idéias enquanto você colhe no jardim ou faz compras no mercado.

Esses pratos nutritivos, coloridos e saborosos serão seus favoritos para as refeições diárias e ocasiões especiais, ilustrando a convicção de Renee de que os prazeres de cultivar ingredientes frescos são completados ao prepará-los bem e aproveitar plenamente os resultados.

Aquarelas maravilhosas de vegetais e ervas criadas por nosso artista de pacote, Mimi Osborne, são apresentadas ao longo deste livro lindamente projetado.

RENEE & # 39S GARDEN COOKBOOK - CAIXA DE PRESENTES

Receitas da horta

Não há nada como o sabor dos seus próprios produtos cultivados em casa, frescos do jardim, mas mesmo que sua recompensa venha da loja ou do mercado local, a coleção original de Renee & # 39 com cerca de 300 receitas deliciosas irá inspirá-lo com grandes ideias para usar vegetais frescos, ervas aromáticas e flores comestíveis na cozinha diária.


Mais receitas de uma horta

A cada semana da estação de cultivo, a guru de jardinagem e cozinheira Renee Shepherd dá uma olhada na escolha da generosidade de seu jardim e, em seguida, se reúne com a coautora Fran Raboff para planejar receitas que aproveitem ao máximo cada colheita. Seu segundo livro de receitas, Mais receitas de uma horta, oferece 300 receitas diferentes, completamente novas e deliciosas, com uma grande variedade de vegetais, ervas aromáticas e especialidades de jardim.

Se você está com vontade de um saudável Sopa de Feijão Preto Caribenha, Batata Assada com Alho Carmelizado, Tarte de Tomate Fresco, Molho de Melão, pratos simples mas elegantes como Frango margarita ou Alcachofras Recheadas Italianas, ou tentações como Barras de gengibre abóbora e Bolinho de Alfazema, este livro oferece ótimos resultados que você aproveitará sempre.

Receitas de nossos livros de receitas:


Renee & # 39s Garden Cookbook plus
sua escolha de uma coleção de sementes
Embalagem de presente $ 29,70 (reg. $ 33,00)
Selecione a coleção:


The Renee & # 39s Garden Cookbook plus
sua escolha de uma coleção de sementes
$ 28,71 (reg. $ 31,90)
Selecione a coleção:


DOIS livros de receitas mais
sua escolha de uma coleção de sementes
$ 35,86 (reg. $ 39,85)
Selecione a coleção:


A horta

Se houve um resultado positivo por estarmos confinados em nossas casas no ano passado, foi o aumento em nossa busca por autossuficiência em face da escassez real ou percebida. Muitos de nós começaram a assar pão pela primeira vez e a cozinhar do zero como a vovó fazia & # x2014 e um número recorde de nós começou a cultivar nossa própria comida.

Um ano depois, alguns de nossos novos entusiastas podem ter desaparecido (quanto starter de massa azeda um freezer pode conter?), Mas cultivar nossa própria comida é mais popular do que nunca & # x2014 ao ponto em que os vendedores de sementes podem empacotar o material rápido o suficiente para acompanhar a demanda.

A jardinagem & # x2014 ou seja, cultivar os vegetais, ervas e frutas que fazem parte das refeições que preparamos & # x2014 já foi um modo de vida natural. Mas, à medida que adquiríamos cada vez mais nossa comida em supermercados, cultivar nossa própria comida tornou-se mais um hobby do que uma necessidade. Mesmo com o aumento das compras em mercados de agricultores para se aproximar da fonte, ainda é outra pessoa cultivando os alimentos.

A popularidade contínua da horticultura após um ano de pandemia sugere que as pessoas descobriram algo que nós, jardineiros, sempre soubemos & # x2014 a jardinagem oferece benefícios muito além de uma colheita de tomates tradicionais aquecidos pelo sol ou das verduras mais frescas e doces que você já teve. Acontece que a jardinagem também é uma ótima maneira de escapar das notícias, reduzir o estresse, ganhar um sentimento de realização e alimentar sua casa, tudo ao mesmo tempo. Além disso, se você começou a trabalhar no jardim no ano passado, significa que começou a lançar as bases de uma habilidade para toda a vida que pode continuar a desenvolver neste ano e no próximo. Se há algo que você aprende como jardineiro, é que sempre há algo novo para aprender.

Se você é novo na jardinagem, quer se atualizar antes de cavar, ou está procurando inspiração para o jardim deste ano, você encontrará muitas ideias e dicas práticas neste, nosso primeiro guia para jardinagem. Conforme você rola e explora os tópicos, você encontrará artigos escritos por jardineiros caseiros para jardineiros caseiros, compartilhando conselhos práticos sobre o que cultivar e como cultivar & # x2014, não importa se você está cultivando em vasos ou em seu quintal . Desejamos-lhe uma boa colheita e o mais verde dos polegares.


The Herbfarm Cookbook

Não muito tempo atrás, a salsa era a única erva fresca disponível para a maioria dos cozinheiros americanos. Hoje, cachos de orégano e alecrim frescos podem ser encontrados em quase todos os supermercados, manjericão e hortelã crescem abundantemente em quintais de costa a costa, e centros de jardinagem oferecem vasos de gerânios comestíveis e tomilho-limão. Mas assim que essas ervas chegam à cozinha, surge a pergunta inevitável: o que faço com elas? Aqui, finalmente, está o primeiro livro de receitas verdadeiramente abrangente para cobrir todos os aspectos do cultivo, manuseio e cozimento com ervas frescas.

Jerry Traunfeld cresceu cozinhando e jardinando em Maryland, mas foi só na década de 1980, depois de se formar na California Culinary Academy e trabalhar no restaurante Jeremiah Tower's Stars em San Francisco, que começou a testar o incrível potencial da culinária à base de ervas . Na última década, Jerry Traunfeld foi chef do The Herbfarm, um restaurante encantado cercado por hortas e situado no sopé chuvoso das montanhas Cascade, a leste de Seattle. Seus brilhantes menus inspirados em ervas com nove pratos fizeram as reservas no Herbfarm entre os mais cobiçados do país.

Ansioso por revelar sua magia aos cozinheiros domésticos, Jerry Traunfeld compartilha 200 de suas melhores receitas em The Herbfarm Cookbook. Escrito com paixão, humor e atenção aos detalhes que tornam este livro muito especial, The Herbfarm Cookbook explica tudo, desde como reconhecer as ervas em seu supermercado até como infundir um pote de mel com o sabor de lavanda fresca. As receitas incluem uma gama completa de pratos de sopas, saladas, ovos, massas e risotos, vegetais, aves, peixes, carnes, pães e sobremesas a molhos, sorvetes, sorvetes, chutneys, vinagres e flores cristalizadas. Do lado familiar estão as receitas de Frango Assado Louro e Salada de Espargos Assados ​​com Sálvia Frita explicadas com o tipo de detalhe que garante que o frango ficará úmido e impregnado com o sabor de louro e os aspargos complementados com o delicado crocante de salva. No lado inovador, você encontrará pratos incomuns como Ostras na Meia Concha com Gelo de Limão Varbana e Ruibarbo e Torta de Angélica.

Um tesouro de informações, The Herbfarm Cookbook contém um glossário de 27 das ervas culinárias e flores comestíveis mais comuns um guia definitivo para o cultivo de ervas em um jardim, um lote urbano ou em um peitoril de janela uma lista do USDA tem zonas de resistência como colher, limpar e armazenar ervas frescas um Gráfico de Requisitos de Crescimento, incluindo o ciclo de vida de cada erva, altura, necessidades de poda e crescimento, e número de plantas para crescer para uma cozinha média e um Gráfico de Cozinhando com Ervas Frescas, com partes da erva usada, características de sabor, quantidade de erva picada por seis porções e melhores parceiros de ervas.

The Herbfarm Cookbook é o livro mais completo, inspirado e útil sobre cozinhar com ervas já escrito.


Entregue com amor da Coreia

Uma xícara extra para trocar no Dia Internacional do Chá

O chef de insetos explica como comer insetos

Chef Alain Ducasse deixa o Plaza Athenee depois de duas décadas

Chocolates podem ser produto do desmatamento ilegal

“É uma folha amarela com nervuras vermelhas. E é uma das coisas mais sexy que você pode imaginar ”, diz ele. “Nós pensamos, 'Caramba, isso é melhor do que qualquer coisa que cultivamos de propósito!'”

Você pode não achar as plantas particularmente atraentes até falar com Jones e perceber seu entusiasmo contagiante pela agricultura. Ele é um experimentador implacável, disposto a experimentar novas técnicas, novas ideias e novos sabores.

“Existem literalmente milhares de plantas e vegetais a serem explorados”, diz ele. “Temos um ditado que diz que tentamos trabalhar em harmonia com a Mãe Natureza, em vez de tentar ser mais esperto que ela.”

O profundo conhecimento de Jones sobre vegetais e seu cultivo estará disponível em breve via O jardim do chef: um guia moderno de vegetais comuns e incomuns - com receitas. O belo livro de 640 páginas é composto por partes iguais da Bíblia de referência vegetal, livro de memórias de família e coleção de receitas. Será lançado em 27 de abril.

PROPAGANDA

PROPAGANDA

“Tentamos no livro realmente procurar maneiras diferentes de utilizar as plantas na América. Nós meio que pensamos unidimensionalmente ”, diz ele. "Fazemos medula óssea. Por que não podemos fazer medula vegetal?”

Jones é a cara do The Chef’s Garden, uma fazenda familiar sustentável de 350 acres em Huron que fornece aos chefs de todo o mundo vegetais especiais sazonais, microgreens, ervas e flores comestíveis.

Diga o nome de um chef estrelado e há uma boa chance de eles terem fechado negócios com o The Chef’s Garden: José Andrés, Alain Ducasse, Daniel Boulud, Thomas Keller e Ferran Adrià, entre eles. Com seu ar acolhedor, macacão jeans e gravata borboleta vermelha, Jones também se tornou uma espécie de celebridade.

O Chef's Garden cultiva 700 tipos de vegetais, com mais 150 a 200 em testes. Há um laboratório onde os cientistas analisam o solo e as sementes, e também o Instituto Culinário de Vegetais, que atrai 600 chefs visitantes por ano para compartilhar seus conhecimentos e cozinhar juntos.

Os leitores do livro encontrarão novas maneiras de preparar vegetais, da raiz de aipo à couve-flor, e aprenderão sobre ingredientes mais incomuns, como sementes de cenoura, knotweed e vagens de sementes de rabanete.

PROPAGANDA

PROPAGANDA

“Por vários milhares de anos, sempre comemos apenas o topo da cenoura. Foi apenas nas últimas centenas de anos que começamos a comer o fundo da cenoura. Agora ninguém come o topo ”, diz Jones.

A fazenda de Jones é cercada por fazendas comerciais de 5.000 acres, e ele faz as coisas de maneira diferente: em vez de produtos químicos, ele usa 15 espécies de plantas de cobertura para reabastecer o solo. Ele argumenta que os agricultores americanos se perderam no que diz respeito à alimentação e saúde.

“Eu não bato nos outros fazendeiros. Eles estão seguindo o modelo que existe de manter os custos o mais baixo possível e as toneladas por acre o mais alto possível. Não se trata da integridade da planta. Trata-se de toneladas por acre ”, diz ele. "Somos um bando de patos estranhos aqui, com certeza."

Acima de tudo, Jones enfatiza o sabor e a minimização do desperdício. Ele olha para os europeus, que aprenderam ao longo de séculos de luta contra a insegurança alimentar a usar cada parte de seus animais.

Pegue a rabada, uma comida de camponês por anos. “Eles descobriram ótimas maneiras de fazer bons pratos com o sabor da rabada. E então Thomas Keller vem aqui e coloca uma rabada em um prato e custa 90 dólares. ”

PROPAGANDA

PROPAGANDA

Jones quer mostrar vegetais, e o livro oferece opções atraentes e saborosas, desde abóbora escalfada com manteiga com semente de cânhamo e coentro até batata Pierogi com lascas de cebola caramelizada.

O livro tem um avanço escrito por Andres e é co-escrito com Kristin Donnelly, com receitas de Jamie Simpson. Lucia Watson, editora do livro para Avery, diz que é oportuno.

“Os vegetais são cada vez mais o centro do nosso prato. E é meio que de onde vem toda a culinária empolgante - experimentando vegetais ", diz ela.

"Isso dá aos cozinheiros domésticos uma janela incrível para isso e um recurso incrível. Isso os apresenta a vegetais dos quais eles podem não ter ouvido falar antes, mas eles vêem no mercado de seus fazendeiros e pensam: 'E se eu trouxesse isso para casa? O que eu faria fazer com isso? ' E também os faz olhar para os vegetais que eles consideram naturais. ”

Jones herdou seu amor pela agricultura de seu pai e mantém um pé no passado - ele admira o que os fazendeiros antes dele realizaram e reverencia máquinas agrícolas antigas - além de abraçar a tecnologia moderna para coisas como análise e distribuição de safras.

PROPAGANDA

PROPAGANDA

“Meu pai tinha um ditado que dizia que a única coisa que estamos tentando fazer é ficar tão bom quanto os produtores eram há 100 anos. Era um fertilizante pré-químico, pré-sintético, girando a terra, reconstruindo o solo ”, diz.

COVID-19 foi um sinal de alerta para Jones se diversificar, já que The Chef's Kitchen descobriu que seus vínculos com chefs e empresas de cruzeiros foram interrompidos quando esses negócios fecharam. Desde então, a fazenda passou a oferecer entrega em domicílio em todo o país e abriu um mercado para fazendeiros enquanto espera a recuperação dos restaurantes.

Mas Jones, sempre otimista, vê uma fresta de esperança mesmo em uma pandemia: houve uma onda de pessoas interessadas em cultivar seus próprios alimentos e plantar vegetais.

“As crianças imitam o comportamento dos pais. E adivinha? Os pais plantaram jardins e as crianças queriam ajudar. E quando uma criança planta uma cenoura e a arranca, mesmo que não gostem antes, eles estão mais interessados ​​em experimentar uma cenoura ", diz ele." Então, acho que com as cinzas disso temos que encontre essas coisas boas. ”


Livro de receitas do The Great Dixter Aaron Bertelsen

Preço eliminado AUD $ 49,95 Preço AUD $ 29,97 Preço eliminado CAD $ 49,95 Preço CAD $ 29,97 Preço eliminado & euro 29,95 Preço e 17,97 euros Preço eliminado e libra 24,95 Preço e libra 14,97 Preço riscado T39,95 Preço T23,97 Preço riscado US $ 39,95 Preço US $ 23,97

Opções de presente disponíveis na finalização da compra

Receitas sazonais e guias especializados em plantio do Great Dixter, o quintessencial jardim rural inglês de Christopher Lloyd

The Great Dixter Cookbook apresenta setenta receitas sazonais simples e deliciosas da horta em Great Dixter, a casa histórica e jardim localizado na fronteira de Kent e Sussex. Os pratos incluem desde clássicos ingleses, como torta de frango e alho-poró, crumble de maçã e chutney de beterraba, até receitas contemporâneas, como couve crocante com sal marinho e shakshuka. Dixter foi o lar do reverenciado e altamente influente jardineiro e escritor Christopher Lloyd, e várias das receitas deste livro foram retiradas dos cadernos pessoais de cozinha da família Lloyd. Com guias de cultivo para mais de vinte variedades de vegetais e frutas para acompanhar as receitas, este livro prático e acessível enriquece a cozinha e a vida de cozinheiros domésticos e jardineiros em todo o mundo.

Especificações:

  • Formato: capa dura
  • Tamanho: 270 x 205 mm (10 5/8 x 8 1/8 pol.)
  • Páginas: 240 pp
  • Ilustrações: 150 ilustrações
  • ISBN: 9780714874005

Originário da Nova Zelândia e treinado em Kew Gardens, Aaron Bertelsen ingressou na Great Dixter em 2005 como estudante e trabalha lá como jardineiro e cozinheiro desde 2007.

Todos os royalties do livro serão doados pelo autor ao Great Dixter Charitable Trust.

& # 34 Repleto de dicas de plantio e receitas de produção [The Great Dixter Cookbook] é o guia perfeito para jardineiros amadores, agricultores regulares do mercado ou qualquer pessoa que queira explorar a sazonalidade em sua culinária. & # 34 & # 8212Comida e vinho

& # 34Dá-nos uma visão privilegiada da famosa horta. & # 34 & # 8212Tory Burch Daily

& # 34 Levando-nos além do jardim ornamental e na cozinha. & # 34 & # 8212Cidade e país

& # 34Um recurso brilhante para jardineiros interessados. & # 34 & # 8212Cresça o seu próprio

& # 34Aaron Bertelsen, jardineiro vegetal da Great Dixter em Sussex, compartilha algumas das receitas de seu novo livro inspiradas na safra que ele cultiva. Eles têm uma aparência deliciosa, saudáveis ​​e não muito complicados, pois ele é um cozinheiro caseiro, não um chef treinado. Tenho um bloqueio mental sobre assar - não me lembro quando fiz um bolo pela última vez. Mas ele me inspirou a experimentar bolo de beterraba e chocolate. & # 34 & # 8212Hatta Byng, editora, House & ampGarden

& # 34Finalmente, aqui está o que estamos esperando. Uma chance de visitar impressa a lendária horta de Christopher Lloyd, que circunda a casa histórica e o jardim localizado nas fronteiras de Kent e Sussex. Porém, mais ainda do que isso, junto com as setenta receitas sazonais, este livro é um guia valioso de cultivo para mais de vinte variedades de frutas e vegetais. & # 34 & # 8212elledecoration.co.uk

& # 34A ligação intrínseca entre jardim e cozinha em Great Dixter é evidente neste novo volume, que é um livro de receitas e um manual crescente. É difícil dizer qual parte deste livro é mais útil, o conselho crescente [. ] ou as receitas, pois ambas vêm acompanhadas de conselhos fáceis de colocar em prática. & # 34 & # 8212Jardim inglês

& # 34Great Dixter está tão repleto de boa comida e tão desprovido de pretensão que não quero ir embora: desejo arregaçar as mangas e cozinhar. & # 34 & # 8212Daily Telegraph, Saturday Magazine, Diana Henry

& # 34Favorável ao usuário. Livros de receitas antigos, com ênfase em enormes quantidades de informações escritas, não são fáceis de navegar. The Great Dixter Cookbook tem a vantagem da clareza. Posso ter muitas receitas de idiota de frutas, mas nunca as examinei direito. Aparentemente, é apenas uma questão de cozinhar frutas e bater o creme. A sóbria fotografia de Andrew Montgomery se adapta ao interior da casa medieval e, sem dúvida, teria obtido a aprovação de Christopher Lloyd. & # 34 & # 8212Gardenista.com

& # 34Uma celebração de ingredientes robustos e sazonais. Muitas receitas saudáveis ​​e emocionantes. Um livro útil também para produtores, com muitas recomendações sobre quais variedades cultivar e como obter as melhores safras. Tudo isso ricamente ilustrado com as belas imagens de Andrew Montgomery. Este já é um dos favoritos de nossas prateleiras de cozinha - e, suspeitamos, será mencionado com frequência. & # 34 & # 8212A-LittleBird.com

& # 34Compartilhe as grandes alegrias de cultivar suas próprias frutas e vegetais com setenta receitas deliciosas e sazonais da horta do Great Dixter. & # 34 & # 8212SoMagzines.co.uk

& # 34Embrace a satisfação encontrada em cultivar e cozinhar seus próprios produtos com este novo lançamento. Receitas deliciosas, porém simples [. ] comemore os ingredientes sazonais. & # 34 & # 8212Casas e jardins

& # 34Total de fotos atraentes e receitas revigorantes e realistas que celebram o melhor da culinária britânica simples. & # 34 & # 8212Toronto Star

& # 34Grande Dixter [. ] sempre foi mais conhecida por suas plantações exuberantes que produzem - mas isso mudou com a publicação do primeiro livro de receitas da propriedade. Dicas sobre como cultivar tudo, de ameixas a acelga suíça, acompanham as receitas sazonais de clássicos, como tortas, crumbles e chutneys. & # 34 & # 8212Voga

"The Great Dixter Cookbook traz a tradição Dixter de comida saborosa à tona mais uma vez. & # 34 & # 8212Jardins Ilustrados

& # 34Uma seleção abrangente e deliciosa de cerca de setenta receitas preparadas regularmente na cozinha da Great Dixter House. Apoiado nas fotografias mais evocativas. Descobri que as receitas que preparei são fáceis de seguir e, ao procurar meus amigos - bolo de beterraba e bolo de chocolate, frango ao estragão, cheesecake assado - eles concordam, então, a palavra de todos vocês! & # 34 & # 8212RyeNews.org.uk

& # 34O design, a escrita pessoal, as imagens - tudo neste livro traz um frisson de prazer. & # 34 & # 8212Globe & amp Mail

& # 34Há receitas de vários smoothies para Baeckoeffe, uma caçarola da Alsácia feita por minha avó, para purê de batata e bolos de couve para um jardim em cada uma das quatro estações. Listas de verificação de jardineiro, guias de cultivo e fotografias maravilhosas. & # 34 & # 8212O americano

& # 34Captivando. & # 34 & # 8212Atlanta Journal Constitution

& # 34Qualquer pessoa que adora cozinhar em um jardim clássico vai adorar este belo trabalho. & # 34 & # 8212Garden & amp Gun Online

& # 34É um livro de receitas. É um livro de jardinagem. É um olhar sobre a história da casa da família do célebre jardineiro e escritor britânico Christopher Lloyd. Agradável de ler e examinar, este é um livro de receitas de ensino. & # 34 & # 8212Greenville News

& # 34Nós todos sabemos que devemos tomar café como um rei (ou rainha) e essas deliciosas receitas, do recém-lançado The Great Dixter Cookbook, são dignos de realeza. & # 34 & # 8212TheEthicalist.com

& # 34 As receitas [de Aaron Bertelsen] são simples e fazem o melhor com produtos ultrafrescos. & # 34 & # 8212Vida no Campo

& # 34Aaron Bertelsen está no famoso jardim Great Dixter há 10 anos e, de forma útil, ele lista variedades e problemas. Suas receitas são simples e masculinas, o melhor dos produtos ultrafrescos. & # 34 & # 8212CountryLife.co.uk

& # 34 Lindamente fotografado. Cheio de receitas simples e viáveis. E quem já visitou a bela casa senhorial e admirou seus jardins [. ] achará suas páginas tão inspiradoras quanto um passeio pelos próprios jardins. & # 34 & # 8212HelloSussex.co.uk

& # 34Recebido com conselhos úteis sobre cultivo. & # 34 & mdashWaitrose Weekend

& # 34Sumptuoso. O livro e as receitas celebram as épocas e são uma mistura de sabores tradicionais e modernos. Aprecie um livro que se tornará um clássico. & # 34 & mdashMinha Semanal

& # 34Receitas de inglês clássico em um jardim icônico. & # 34 & mdashBBC Gardener's World


Crítica do livro: Cozinhar à base de ervas para o autocuidado

Em Receitas da cozinha do Herbalist, descubra como as ervas podem ajudar a criar refeições que não são apenas deliciosas, mas ajudam você a viver da melhor maneira possível.

Relacionado a:

Autora e Herbalista Brittany Wood Nickerson

Autora e Herbalista Brittany Wood Nickerson

Quando você nota quase todas as páginas de um livro, as notas ficam sem sentido? Esta é a questão que estou pensando enquanto olho para a minha cópia do Receitas da cozinha do Herbalist, um novo livro da Storey Publishing da herborista e criadora da Thyme Herbal Brittany Wood Nickerson. Cada página apresenta uma receita na qual quero mergulhar baseada puramente no sabor prometido e no uso criativo dos ingredientes - e é um bônus bem-vindo que esses ingredientes promovem uma boa saúde. Como um jardineiro comestível dedicado, adoro como este livro de receitas mostra maneiras inovadoras de usar as plantas na culinária, ao mesmo tempo que faz com que as práticas antigas pareçam novas novamente. A bela fotografia do livro e as explicações perspicazes de Brittany também tornam o livro um novo favorito para minha coleção.

Na minha primeira semana de leitura do livro, fiz ovos cozidos com salsa pesto, lavanda Fizz, barras de damasco e caju com coco e alecrim, biscoitos de semente de linho com ervas e feijões dilly lactofermentados - ou, devo dizer, comecei os feijões dilly e Lavender Fizz, como essas receitas, junto com outras do livro, mergulham na fermentação caseira, que leva um pouco de tempo e paciência para ser alcançada. (Para aqueles que estão se perguntando, o Dilly Beans rivaliza com qualquer versão em conserva que eu tentei, na verdade, eu gosto mais deles.) Eu pareço um pouco empolgado demais com este livro? Talvez eu tenha uma pequena queda por ele e por seu autor, uma que vou agradar, e você também deveria - apenas continue lendo para a minha conversa com Brittany sobre o livro, ervas e o papel do autocuidado no mundo de hoje.

Adoro o subtítulo “Medicina da cozinha” na sua introdução. Em vez de simplesmente pensar nas ervas como remédios, sua abordagem parece ser pensar nas refeições como remédios e nas ervas como ingredientes essenciais em refeições saudáveis. Você pode resumir como essa abordagem ao herbalismo é diferente, e talvez mais acessível, para o cozinheiro / comedor diário médio?

As ervas fazem parte das tradições culinárias de todo o mundo por razões muito além do sabor. As ervas culinárias auxiliam na digestão e absorção de nutrientes e ajudam a prevenir doenças transmitidas por alimentos. As tradições que envolvem cozinhar com ervas estão embutidas nas propriedades medicinais da erva. Isso significa que qualquer pessoa que já cozinhou com ervas (ou mesmo apenas polvilhou pimenta-do-reino sobre os ovos em uma lanchonete!) Participou da tradição de cozinhar medicinalmente. O projeto principal de Receitas da cozinha do Herbalist é ajudar a ensinar as pessoas por que cozinhamos com ervas, para que possam compreender mais plenamente a linha tênue entre alimentos e remédios. O conceito de & quotKitchen Medicine & quot transcende a ideia de que devemos cozinhar e comer ervas simplesmente porque são & quot boas para nós & quot - mas, em vez disso, devemos empregá-las para realizar uma determinada intenção médica que pode apoiar a saúde geral do corpo. O conceito está enraizado em uma compreensão muito holística de saúde, vitalidade e padrões mais amplos de bem-estar. Minha esperança é que aprender o raciocínio medicinal por trás das combinações tradicionais (e não tão tradicionais!) De ervas e alimentos possa fortalecer profundamente o cozinheiro doméstico, profissional ou aspirante a cozinheiro.

Que ervas você acha que todos os interessados ​​em refeições saudáveis ​​e medicinais deveriam cultivar em casa? Para aqueles que já estão cultivando o básico, quais são algumas ervas menos comuns que todos deveriam plantar?

Eu sempre recomendo que as pessoas se concentrem no cultivo de ervas culinárias que são mais bem usadas frescas do que secas. Por exemplo, prefiro manjericão fresco, coentro, endro e salsa em vez de secos. Concentrar-se em uma pequena horta ou em uma pequena janela com alguns desses vai animar sua cozinha. Também gosto de ter uma planta de alecrim. O alecrim não passa o inverno em climas frios, então eu pego o meu e trago para casa, onde posso desfrutar de sua beleza, fragrância e sabor durante todos os meses de inverno.

Além de ervas estritamente culinárias, adoro cultivar calêndula (uma erva medicinal da família do calêndula). A calêndula é comumente usada para preparações externas para o cuidado da pele e, internamente, dá suporte aos órgãos eliminatórios. É uma planta anual fácil de cultivar que se auto-semeia no jardim ano após ano. Tem lindas flores amarelas e laranjas que desabrocham durante todo o mês de setembro. Dá uma ótima flor para cortar e você usa as pétalas comestíveis na sua cozinha. Adoro guarnecer bolos, saladas e outros pratos com pétalas vibrantes de laranja e amarelo. Na semana passada fiz um prato de beterraba assada com queijo feta e pétalas de calêndula - era lindo.

Ovos Cozidos Com Salsa Pesto. Fotografia por Keller + Keller photography, de Receitas da cozinha do Herbalist por Brittany Wood Nickerson, usado com permissão da Storey Publishing.

Ovos Cozidos Com Salsa Pesto. Fotografia por Keller + Keller photography, de Receitas da cozinha do Herbalist por Brittany Wood Nickerson, usado com permissão da Storey Publishing.

O termo “autocuidado” parece estar crescendo em popularidade e alcance. O que “autocuidado” significa para você e como as pessoas podem começar a incorporá-lo em sua vida diária e em sua mentalidade?

Para mim, o autocuidado é a prática de priorizar o cuidado de si. Envolve dois aspectos - o cuidado logístico do corpo (por exemplo, tomar banho ou comer uma refeição), assim como o cuidado com o espírito e o mundo emocional. Em muitos casos, os dois podem se sobrepor e acredito que seja o tipo de autocuidado mais produtivo e sustentável. Em Receitas da cozinha do Herbalist, Falo muito sobre as maneiras pelas quais cozinhar pode se tornar um componente nutritivo do cuidado consigo mesmo e com os outros. E ilustra lindamente a sobreposição entre como cuidamos de nosso corpo físico e emocional. Eu mergulho profundamente na introdução do capítulo Nutrir, & quotNossa relação com a comida nos dá acesso à nossa paisagem interior. Existem incontáveis ​​momentos na produção, colheita, cozimento e alimentação de alimentos que pedem reflexão, que envolvem nossos sentidos, nossos instintos e nosso relacionamento com nossa natureza primordial profunda. & Quot

Adorei ler sobre as cinco categorias de sabores: doce, salgado, azedo, picante e amargo. A maioria de nós cresceu aprendendo sobre os quatro grupos de alimentos e criando um prato balanceado. Será que nossas refeições seriam melhores em termos de saúde se pensássemos em incluir os cinco sabores? E que sabores está faltando na maioria de nós?

O que a maioria dos sistemas dietéticos, tendências, filosofias, etc. esquece é a importância da digestão. Eles se concentram em quais alimentos comer, mas não em quão bem esses alimentos são digeridos e quantos nutrientes podemos absorver e utilizar deles. O que os cinco sabores nos ajudam a entender é como os sabores afetam nossa fisiologia. Quando combinamos alimentos altamente nutritivos, mas mais difíceis de digerir, como grãos, legumes, laticínios ou carne com ervas de sabor picante e amargo que estimulam o metabolismo, como alecrim, tomilho, sálvia, hortelã, etc., apoiamos a capacidade do nosso corpo de absorver todos os bons nutrientes .

O sabor mais ausente da dieta média dos americanos é o amargo. O amargo é o mais metabolicamente ativo de todos os sabores. Temos papilas gustativas em nossa língua que apenas captam e respondem ao sabor amargo. This taste bud reflux stimulates the entire digestive process including the release of digestive acids and enzymes in the stomach, pancreas and intestines and bile from the liver and gallbladder. It also stimulates peristalsis, the muscular action that moves food through the GI tract. We do not need to eat a lot of bitter foods, just a taste is most important. That is why bitter tasting foods are often reserved for small courses, side dishes or herbal accents to heavier foods. Examples include a salad of bitter greens or a bitter cocktail before a meal, rosemary to season chicken or basil on a heavy pasta dish. Pesto, gremolata and other herbal condiments often have a bitter flavor alongside other salty or pungent accents.


Here are fresh herbs and plants you can grow that are great to have handy in the kitchen.

PARSLEY

A salsa é uma erva amarga suave que pode realçar o sabor dos alimentos. Many consider parsley just to be a curly green garnish for food, but it actually helps things like stews achieve a more balanced flavor. As an added benefit, parsley can aid in digestion. By reading articles such as unify health labs reviews and other digestion related discussions, many supplements and herbs are uncovered as great helpers for the digestive system. Parsley is often grown as an annual, but in milder climates, it will stay evergreen all winter long. Parsley plants will grow to be large and bushy. Parsley is a good source of Vitamins A and C.

MINT

Existem várias variedades de hortelã. You can use it in drinks like mojitos or mint juleps. Or add some mint to your summer iced tea. Mint freshens the breath and will help to calm your stomach. But if you grow mint, remember that it’s considered an invasive plant. Mint will spread and take over your garden. It’s best grown in containers.

DILL

Dill is a great flavoring for fish, lamb, potatoes, and peas. It also aids in digestion, helps to fight bad breath and has the added benefits of reducing swelling and cramps. Dill is easy to grow. It will also attract helpful insects to your garden such as wasps and other predatory insects.

MANJERICÃO

Whether you choose large leaf Italian basil or large purple sweet basil, this plant is popular in many cuisines but is a feature in Italian cooking like pizzas, salads, sauces, and pesto. Some people think basil is great for planting alongside your tomatoes but there’s no real evidence that it makes your tomatoes taste sweeter. Basil has health benefits of antioxidants and is a defense against low blood sugar.

SÁBIO

Sage is an aromatic herb that is great for seasoning meats, sauces, and vegetables. But be careful because sage will have a tendency to overpower other flavors. Sage also helps to relieve cuts, inflammation and helps with memory issues. It was once thought to be a medicinal cure-all. Sage is an easy herb to grow and is relatively easy to care for. It’s great in your garden for attracting bees.

ROSEMARY

Rosemary is one of the most flavorful herbs and is great for adding to things like poultry, meats, and vegetables. Around Christmastime, you’ll see tree-shaped rosemary bushes for sale. You can bring them home and keep them for planting in the spring. The fragrant plant is a delightful scent and is sometimes used in floral arrangements. Rosemary likes its soil a bit on the dry side, so be careful not to overwater. Allowed to flourish, a rosemary plant will grow into a full-sized bush.

THYME

Thyme is a delicate looking plant. It is often used for flavoring egg, bean and vegetable dishes. Thyme is frequently used in the Mediterranean, Italian and Provençal French cuisines. Pair it with lamb, poultry, and tomatoes. Thyme is often added to soups and stews. Thyme is part of the mint family. The most common variety is garden thyme which has gray-green leaves and a minty, somewhat lemony smell.

CILANTRO / CORIANDER

Cilantro is also known as coriander leaf or Chinese parsley. Cilantro is perfect for adding into spicy foods like chills, and Mexican, Chinese, Southeast Asian and Indian cuisines. The seeds of cilantro are known as coriander. The plant grows early in the season and doesn’t like it when the ground becomes too warm.

FENNEL

Fennel is very flavorful and aromatic, and along with anise is a primary ingredient in absinthe. Fennel is native to the Mediterranean region and does best in dry soils near the ocean or on river banks. The strongly flavored leaves of fennel are similar in shape to dill. The bulb can be sautéed or grilled, or eaten raw. Fennel bulbs are used for garnishes or sometimes added to salads.

CHAMOMILE

In the United States and Europe, chamomile is most often used as an ingredient in herbal tea. It is one of the world’s most widely consumed herbal teas. But it has also been used for thousands of years as a traditional medicine for settling stomachs and calming the nerves. Chamomile also helps reduce inflammation and treat fevers. You can grow either German chamomile or Roman chamomile. The two are interchangeable when it comes to making tea, but they are grown very differently. German chamomile is an annual plant that grows up to three feet tall. Roman chamomile is a perennial but only grows to about a foot high. German chamomile is more commonly known for its blossoms.


Grow Fruit & Vegetables in Pots Aaron Bertelsen

Price AUD$49.95 Price CAD$49.95 Price &euro29.95 Price £24.95 Price T39.95 Price USD$39.95

Opções de presente disponíveis na finalização da compra

Expert planting advice for growing fruit and vegetables in pots from the acclaimed English garden - with 50 delicious recipes

Beautifully illustrated, Grow Fruit & Vegetables in Pots provides clear, practical information on growing fruit and vegetables in containers, whether that be a window box or a terracotta pot on a balcony. Aaron Bertelsen of the acclaimed English garden at Great Dixter will guide you through what to grow, which pots to use, give personal tips on varieties to choose, and advice on cultivation and care. Featuring more than 50 delicious recipes, Bertelsen shows that lack of space is no barrier to growing what you want to eat, and proves that harvesting and cooking food you have grown yourself is a total pleasure, with dishes that showcase a few perfectly chosen - and personally grown - ingredients.

Especificações:

  • Format: Hardback
  • Size: 270 x 205 mm (10 5/8 x 8 1/8 in)
  • Pages: 240 pp
  • Illustrations: 150 illustrations
  • ISBN: 9780714878614

Originally from New Zealand and trained at Kew Gardens in London, Aaron Bertelsen joined Great Dixter in 1996 as a student and has worked there as the vegetable gardener and cook ever since.

"Wow. The text is entertaining and informative, the images are good enough to eat and the practical advice is sound, as it's based on experience."&mdashMatthew Biggs, gardener, writer and broadcaster

"Super-fresh seasonal dishes from Aaron Bertelsen, the kitchen-friendly gardener at one of Britain's greatest country houses, will take you from plot to plate in minutes. and the good news is you don't even need a garden."&mdashMail on Sunday YOU magazine

"Great Dixter gardener cook, Aaron Bertelsen, shares his knowledge of growing edibles in pots."&mdashGardens Illustrated

"Following his bestselling debut, The Great Dixter Cookbook, Aaron Bertelsen has turned to containers. Em Grow Fruit & Vegetables in Pots he has created a beautiful, practical guide including over 50 delicious recipes as further incentive."&mdashELLE Decoration

"Super-fresh seasonal dishes from Aaron Bertelsen, the kitchen-friendly gardener at one of Britain's greatest country houses, will take you from plot to plate in minutes. and the good news is you don't even need a garden. There's nothing more satisfying than cooking with homegrown fruit and veg. Aaron Bertelsen, head gardener at Great Dixter House, reveals just how simple - and super-tasty - this can be."&mdashYOU magazine, The Mail on Sunday

"Over 25 vegetables, fruit and herbs that can easily be grown and cropped in containers."&mdashGarden News

"Expert practice advice. Beautifully photographed."&mdashThis England

"Just the opening spreads of images of leafy gardens and stacks of terracotta planters in a romantically lit potting shed are worth pausing over on a cold winter morning. The follow-up to the English countryside-based gardener Aaron Bertelsen's bestselling The Great Dixter Cookbook, this lovely tome shares container gardening tips that are as practical in Birmingham, England, as in Birmingham, Alabama. "&mdashGarden & Gun Online

"Practical gardening tips for even the smallest of spaces. This really is the perfect book for learning the joys of growing and cooking your own produce."&mdashCountry Homes & Interiors

"Aaron Bertelsen's ultimate guide to getting back in touch with nature if your outdoor space is limited to a minuscule balcony or yard."&mdashEstilista

"A gourmet gift to green-fingered gastronomes."&mdashTown & Country magazine

"Beautifully illustrated. Including easy-to-make preserves and pickles."&mdashWomen's Weekly magazine

"A real treat."&mdashThe English Garden

"Recipes for breakfast muffins with home-grown figs or tempura baby courgettes will encourage me to get my compost and trowel out."&mdashBlanche Vaughan, House & Garden Food Editor

"A beautiful guide to container gardening with advice that's relevant to gardeners all over."&mdashGarden & Gun Online

". Fascinating reading. Gardeners who are just getting started with containers can find valuable advice."&mdashChristian Science Monitor

"Bertelsen offers useful information on how to grow everything from root vegetables to herbs including the kind of pots to use. Beautifully photographed."&mdash360 West Magazine


My bounteous kitchen garden: growing tips and recipes from Michelin-starred chef Merlin Labron-Johnson

These days, there’s many a country restaurant and pub proclaiming a “fork-to-table” philosophy, serving organic vegetables from the establishment’s own kitchen garden.

Few, though, are the chefs doing the actual growing stuff themselves, and rare as hen’s teeth are chefs with a Michelin-starred restaurant under their belt who would start such a garden from scratch, spending long days heaving tons of horse manure over a garden wall.

Merlin Labron-Johnson, late of London’s Portland restaurant (which gained a Michelin star in 2015, nine months after opening), Clipstone and The Conduit, had not intended to be quite so hands-on this spring. Having grown up near Totnes in Devon, the modest, quietly spoken 29-year-old had achieved one ambition, though.

“I had a lovely time in London, but after a couple of years I wanted to be back in the countryside. All I wanted to do is have a very simple restaurant where we grow our own vegetables and maybe eventually have some pigs and chickens.” So he decamped to Bruton in Somerset – something of a foodie hub – and opened Osip, a tiny restaurant in the town’s former ironmongery, last November.

Along with Number One, the 12-bedroom boutique hotel it is nestled within, Osip got rave reviews, and he was working flat out in the kitchen. There was neither the time, nor the money to start his dream veg plot – even though David Mlinaric, interior designer to the grandest of the grand, and his wife Martha, offered him the use of the kitchen garden on their idyllic Spargrove estate nearby.

An allotment for herbs and edible flowers at Durslade, owned by Hauser & Wirth gallery and a short walk from the restaurant, would have to do.

And then came lockdown. But out of adversity comes opportunity: “I’ve taught myself the fine art of running an e-commerce shop and a takeaway, and we do a pop-up shop every Saturday. We had to do that for survival,” says Labron-Johnson.

He has also taken the term “gardening leave” literally and, over the last few months, taught himself to raise his favourite varieties of vegetables. “I was starting to grow in my allotment and I thought: ‘I am crazy if I don’t get this garden going now, I will regret it for the rest of the year.’” So he plunged into the Mlinarics’ kitchen garden.

We meet at Spargrove on a sunny afternoon late in June. The first thing I notice, once through the narrow gate, is the long double row of mature artichokes that occupies a whole bed along the top of the third-of-an-acre sloping garden (see above).

“David and Martha have been growing artichokes since they have lived here,” says Labron-Johnson. “They were given them by a friend in Italy and usually they are producing never-ending artichokes.” Frustratingly, “this year they are having squirrel problems they have finally figured out that artichokes are quite tasty.”

On the slope below, where once there was only grass, are three new beds (each 18m x 3m), home to rows of young veg that have appeared over a matter of weeks – Labron-Johnson took a gamble on when the restaurant would be able to reopen and has planned for his crops to come into abundance by late summer. It has been hard work, especially as he doesn’t drive and has to cycle over the hill from home in Bruton. “I can’t actually believe how much we have done in this time.”

Enjoying the heat of the wall are outdoor tomatoes, such as ‘Black Russian’ and ‘Gardeners’ Delight’ in the beds are purple sugar snap peas red orach for salads courgettes, including yellow (‘Gold Rush’) and green (‘Romane’), spring onions beetroot ‘Chioggia’ and ‘Cylindra’ salads (especially spicy Oriental varieties), cucumbers (“I probably have about 50” – he makes pickled gherkins out of some) and edible flowers such as calendula: “It is a good companion plant and you can put the young leaves in salads, too”.

There are also carrots, parsnips, leeks, onions, radishes and chard. Among the broad and runner beans are dwarf and climbing French beans, including ‘Fortex’, sent by his grandmother from France. “She says they have no string and are completely tender and you get so many from each plant.”

The door into the garden is too narrow for vehicular access – hence he and his brother Ruben shovelling the eight tons of muck over the wall by hand – and he spent four days bringing in six tons of food-waste compost with a wheelbarrow. “It was mad.”

They did, however, manage to squeeze through a mini digger to create the beds. The third bed, recently made, is like a delicious earthy cake: over a layer of the upturned turfs from the first two beds went a layer of cardboard to suppress weeds, then that was dug in and manure added, liberally topped with straw.

With scaffolding boards laid around the edges to make it raised, it is now home to ‘Crown Prince’, ‘Musquee de Provence’ and ‘Red Kuri’ squashes.

When Osip reopens its doors on July 30, what Labron-Johnson can’t magic up from the Spargrove kitchen garden will come from local suppliers or be brought in by neighbours and friends. As customers sit down to eat in the 16-20-cover Covid-compliant space, he won’t be giving out menus (unless requested).

Diners will be told about the local produce into which they are about to sink their forks and asked to “put their faith in the kitchen, knowing that we will cook from the heart. The idea is that our guests will really understand that we are cooking with whatever we are given that day.”

Labron-Johnson still intends to run the garden himself, as an antidote to hot days in the kitchen – “It is very good for my mental health,” he laughs.

All is looking productive now, but what about winter and that tricky “hungry gap” at the beginning of the year? “It is the test of a true talented chef. It is hard to make a restaurant-standard, ‘fine-dining’ dish with something as humble as Swiss chard or kale in the colder months. You need to be creative. You really do.’

The proof, as they say, will be on the plate.

Osip and Number One Bruton both plan to reopen on July 30 (osiprestaurant.com numberonebruton.com).

Top tips

  • Merlin is very fond of brassicas – spicy oriental salads kale kohl rabi, radishes and so on. But so are flea beetle, cabbage white caterpillars and pheasants, so the plants need to be covered.
  • In the fight against holes in his radish leaves, Merlin has used pallets draped with enviromesh, which can be moved along the beds as each batch of the crop matures. He does the same with a set of small portable wooden cold frames to protect young salads.
  • As with a restaurant, make sure you stagger your planting so that you don’t have a glut and then nothing to follow. Many vegetables have a long growing season.
  • Charles Dowding, the guru of “no dig” vegetable growing, lives nearby and gives advice. Merlin is an avid watcher of his YouTube channel.
  • Covering the soil with hot-rotted compost smothers most weeds and leaving the worms to do the “digging” work for you also saves time.
  • Many weeds, such as dandelions, nettle and young ground ivy (Glechoma hederacea) can be of culinary use. Merlin also forages from the local lanes: elderflowers, meadowsweet and damsons all go into his menus.
  • Don’t take “sow-by” dates too literally. Martha Mlinaric gave Labron-Johnson some seeds of runner beans she rated.
  • “I looked at the packet and they were seven years out of date,” he says – but there they were, growing away happily.

Preserved courgettes

Tempo de preparação: 5 minutos

INGREDIENTES

  • 750g courgettes
  • 250ml olive oil
  • 4 cloves of garlic, sliced
  • 25ml red wine vinegar
  • 2 tbsp sugar
  • Bunch of marjoram or oregano, leaves picked
  • Peel of one lemon
  • Sal

MÉTODO

  1. Slice courgettes as thinly as possible, spread them out on a tray and sprinkle generously with salt. Leave for one hour then blot dry with kitchen towel.
  2. Heat 50ml oil and fry courgette slices in batches. Place slices in a bowl and add lemon peel, sliced garlic, sugar, herbs and vinegar. Mix well and place in a sterilised jar.
  3. Heat remaining olive oil and pour over courgettes, making sure they are submerged. Keep in the fridge and use within one month.

Chard, potato and Caerphilly cheese pie

Tempo de preparação: 1 hour, plus chilling | Cooking time: 45 minutos


Assista o vídeo: How to Plant a Culinary Herb Garden! DIY Kitchen Garden (Janeiro 2022).